Pueblo gourmet e artsy

Garzon ruas

Uma deliciosa descoberta a 60 km de Punta del Este, Uruguai, o povoado de Garzón, fundado em 1892, vem conquistando uma legião de visitantes bacanas e low profile que adoram gastronomia e arte, muitos deles vindos das areias de José Ignacio, vizinho, a pouco mais de 30 km dali. Além do tão famoso El Garzon Hotel & Restaurant, do conceituado chef argentino Francis Mallmann, há outras poucas preciosidades a visitar entre as pacatas ruas de terra batida. Tudo no melhor estilo gaúcho sofisticado. Para dormir ou passar o dia.

El Garzon Francis Mallmann

El Garzon Hotel & Restaurant (foto acima): do mestre-cuca argentino Francis Mallmann, o primeiro a investir no povoado, o hotel e restaurante ocupa um antigo armazém. Só cinco suítes simples e aconchegantes, piscina, bar e mesas dispostas ao ar livre e pelos charmosos ambientes internos. Na cozinha, à vista, se pode ver o fogo da culinária rústica de Mallmann baseada na antiga técnica andina chamada de “infernillo”, na qual se preparam os pratos “ entre fogos”, na lenha. No menu, desde pizzas até empanadas, saladas e pratos variados, como o “asado” (churrasco) uruguaio com molho chimichurri e salada de batatas. Para acompanhar, vinhos de edição limitada da Finca La Anita, parceira de Mendoza.
Casa Anna: vizinho do El Garzon, o bed & breakfast recebe em seis casitas e todas as refeições podem ser preparadas pelo time de Mallmann.
Alium: a loja de design “made in Uruguai”, vende roupas e objetos artesanais, incluindo ponchos e mantas de lã merino.
Galería Pueblo Garzón (foto abaixo): a pequena galeria promove exposições de fotografia e arte contemporânea de artistas residentes e internacionais.
Galeria Garzon
Lúcifer: Camino a la Estacion Custiel, Casi al Final, tel. +598 99255-249. O restaurante local tem fama pelo talento da chef Lucia Soria, discípula do argentino Francis Mallmann.
Colinas de Garzón (fotos abaixo): imperdível a visita à fazenda que produz azeites, a oito quilômetros do Pueblo Garzón. O lugar, de instalações modernas, oferece diversas experiências, como passeios de bicicleta, de balão e piquenique entre as oliveiras.
Colinas de Garzon fachada
No tour mais tradicional, é possível descobrir sobre a origem e cultura do azeite, percorrer as plantações de oliveiras, visitar a Fábrica Boutique de Elaboração de Azeite de Oliva Extra Virgem e conhecer o processo de elaboração. Ao final, degustação de azeites e a chance de perceber os diferentes sabores. Para acompanhar, vinhos também produzidos lá, queijos e pães do campo. É preciso agendar a visita e pode-se levar as crianças.
Colinas de Garzon2

Leia matéria completa no Diário do Comércio.

Anúncios

Himalaias Indianos

Buddhist monks of Rinchenpong2
A Índia como você nunca viu.
Shakti são expedições exclusivas que percorrem os vilarejos dos Himalaias Indianos, hospedando-se em casas de arquitetura típica (village houses) adaptadas ao gosto dos mais exigentes viajantes. Com acomodações bacanas, decoração elegante e facilidades modernas. Na hora das refeições, um chef prepara os pratos com sabores regionais. E os programas ficam a cargo de guias locais, profundos conhecedores dessas montanhas, e visitam templos, monastérios, mercados e a cultura das comunidades rurais. Aos mais aventureiros, há trekkings, rafting e camping. Uma das expedições percorre a região do Ladahk, conhecida como o “Pequeno Tibete” (de maio a setembro); outra visita o reino budista de Sikkim (outubro a abril) e há as experiências na região de Kumaon (também de outubro a abril). Todas as viagens são feitas sob medida.  Como ir? Com operadora de luxo indiana Banyan Tours & Travels, que desenvolveu o Shakti. Programe-se!

OLYMPUS DIGITAL CAMERAHee India Shakti

Direto de Nova York

The Surrey Lorena Lorena Ringoot, a chef concierge do elegante hotel The Surrey, em Nova York, estreia no WHIZ como colaboradora e todo mês nos manda dicas quentinhas da Big Apple. A novidade vem junto com o novo visual do blog. Confira!

Compras
Vale a pena ir à Iro (450 Broome Street), marca moderna francesa com as jaquetas de couro do momento. Precisando de ajuda, procure a Jennifer, a gerente simpática e muito paciente. Ela conhece todos os últimos bares da moda. Também não deixe de ir à nova loja John Varvatos (315 Bowery at Bleecker Street). Para vestir o homem dos seus sonhos… Já na Sephora (há uma Quinta Avenida, entre 48th e 49th Streets), conheça a nova linha de make-up Marc Jacobs Beauty.
Girl on Citi Bike nova york travel whizPasseio
Quem curte andar de bicicleta, a dica é alugar uma do City Bike (foto acima) e ir até o Brooklyn, atravessar a Brooklyn Bridge e almoçar no Dumbo.
Cultura & Arte
Must-go no MoMa é a exposição “Magritte: The Mistery of The Ordinary,” de 28 de setembro a 12/1, que explora os anos surrealistas do artista belga. Na Broadway, estreou “A Night with Janis Joplin”. E não perca o James Zeller Jazz Trio nas sextas-feiras, a partir das 21h, no Bar Pleiades no The Surrey. Os rapazes são muito charmosos e tocam American Jazz Standards dos anos 30 e 40.
Evento
NYC Wine and Food Festival, 17 a 20/10. Em vários locais da cidade.
Lafayette New York restaurant
Restaurantes novos
Lafayette (foto acima): a mais nova brasserie francesa da área (Lower Manhattan). Mais elegante e sofisticada que o nosso querido Balthazar.
Saxon & Parole: comida moderna americana, decoração cool e um bar muito especial chamado Madam Geneva.
L’Apicio: comida italiana com um bar lounge impecável.

Lorena Ringoot é chef concierge no hotel The Surrey 

São Paulo turística em uma bike

Edifício Copan

Edifício Copan

Em comemoração ao aniversário da cidade, uma dica de programa novíssimo. Especializada montar em viagens de bicicleta pelo mundo – da Europa à Argentina –, a agência Bike Expedition lançou passeios de bicicleta por São Paulo. Montados de acordo com o interesse de cada grupo (pode ser pelo Parque do Ibirapuera ou o Mercado Central com parada gastronômica ou até mesmo pelas estradas do interior paulista), a empresa se encarrega de toda a estrutura. Oferece as bicicletas com capacete, guia, mecânico, carro de apoio, isotônicos, kit de mecânica e primeiros-socorros. Preços são sob consulta.
“Globetrotter”, Adriana Kroehne, a proprietária da Bike, fala sobre a novidade.
Adriana da Bike Expedition
Por que São Paulo?
A cidade tem uma grande oferta de pontos históricos, como a Sala São Paulo, a Estação da Luz, a Pinacoteca, Largo São Bento, Praça da Sé, Viaduto do Chá… e os paulistanos não conhecem a história da cidade onde vivem. É uma aula prática sobre São Paulo de bike.
Um dos roteiros que adora? Eu gosto muito do que passa pelo centro da cidade, embora muitos pontos estejam degradados. Outra coisa que gosto muito é de descobrir pontos da ciclofaixa recém-inaugurados. A ciclofaixa veio para confirmar a tendência da bike entrar na vida do paulistano.

Top 5 nos vinhedos de Bordeaux

Conhecer a região de Bordeaux significa apreciar o universo dos melhores vinhos do mundo. Château MargauxLafite RothchildHaute-BrionCheval BlancPétrus… No sudoeste da França, a área inclui 60 apelações e abrange mais de 117.500 hectares. É famosa pela variedade de solo (terroir) e a arte da assemblage (mistura de tipos de uva na produção). Divide-se em diversas sub-regiões – Sauternes, Graves, St. Emilion (foto acima), Pomerol, Médoc, Entre-Deux-Mers, Blaye e Bourg, entre outras menos célebres – espalhadas em torno do “Y” formado pelo Rio Gironde e seus afluentes, o Dordogne ao norte e o Garonne ao sul. Para visitá-la basta um carro e agendar os tours nas vinícolas com antecedência. Conhecemos 5 atrações imperdívei – todas a cerca de meia hora da capital Bordeaux.

1) Château Guiraud: os vinhos brancos, doces e licorosos de Sauternes fazem fama. À margem esquerda do Rio Garonne, vizinha do Château d‘Yquem, esta vinícola é uma das pioneiras na viticultura orgânica e teve seu 1o grand cru classificado em 1855. Se estende por 128 hectares e a casa histórica tem origem em 1722 (foto acima). Pertence atualmente a quatro famílias. A visita custa 7 euros por pessoa e é interessante para compreender a produção de sauternes, obtida a partir da ação de um fungo. Depois, almoce no Auberge des Vignes, nas redondezas (23, Rue Principale, tel. +33/05/5676-6006), um restaurante delicioso de atmosfera campestre.
2) Château Siaurac: Aline Guichard-Goldschmidth e o marido, Jean Paul, são os anfitriões na propriedade que ela herdou da avó, La Baronne de Guichard. O vinho (Best of d’Ór 2012), resultado de três terroirs na margem direita do Rio Dordogne. Em Pomerol, do lado da Pétrus, três hectares do Château Vray Croix de Gay; em Saint-Emilion, seis hectares no Château Le Prieuré; e lá, em Lalande de Pomerol (do lado de Saint-Emilion), a antiga fazenda da família desde 1832, 46 hectares de vinhas e 15 hectares de jardins. O casal mora lá. Aos turistas, o wine day inclui visita, um ateliê-degustação (escolha assemblage – foto acima – para ter uma ideia de como funciona a mistura de uvas) e uma caixa gourmand para um piquenique: a partir de 80 euros para duas pessoas. Também é possível agendar um jantar no château ou um almoço no restaurante (antiga orangerie). Ao final, deixe suas impressões no Livro do Ouro.
3) Château Soutard: em Saint-Emilion, sob classificação Grand Cru Classé, a vinícola de 27 hectares impressiona por suas adegas modernas e refinadas (foto acima) reformadas entre 2007 e 2010, introduzidas depois que foi adquirido, em 2006, pela empresa de seguros AG2R La Mondiale, também proprietária de mais três vinícolas vizinhas. A alma de seus tintos é a uva merlot (70% das vinhas). A parte principal do château foi construída de 1741 a 1762. Visita e degustação a 8 euros por pessoa.
4) Saint-Emilion: a cidadezinha medieval (foto acima) erguida sobre uma colina e cercada por algumas das vinícolas mais famosas de Bordeaux é encantadora e os vinhedos a seu redor são Patrimônio Mundial da UNESCO sob a categoria “paisagem cultural”. Ao todo, 800 chateaux e a videira foi lá introduzida no século II d.C.  Em um passeio a pé pela cidadela, há ruelas lotadas de lojinhas de vinho. Um aroma doce toma conta. É o macaron de Saint-Emilion, doce feito com amêndoas moídas, claras de ovo e açúcar – receita histórica diferente e única ali. Das tantas lojinhas-fábricas vá à Lemoine (9 Rue du Clocher). E agende com o Escritório de Turismo a visita à igreja monolítica, para descobrir tudo sobre a lenda do monge Emilion. Só é possível entrar com o tour agendado.
5) Château de Roquetaillade: um castelo medieval como os das fábulas, este não produz vinhos. Tem como ponto alto seus interiores restaurados no século 19 pelo francês Viollet-le-Duc (foto acima) e classificados como Monumento Histórico da França em 1840. Duas fortificações (uma do século 11 e outra do 14) estão na posse da mesma família há mais de 700 anos. Parte dele é habitada e parte transformada em museu. E algo de muito especial – a proprietária, Sra. Mauvezin, é uma das guias para a visita. Mostra o lugar ao turista, conta as histórias e abre as portas dos cômodos fechados a chave. Visita a 9,50 euros.

Londres com as crianças


Tony O’Connell
, Kids’ Concierge no St. James’s Hotel and Club, em Londres, é adorado pelos pequenos turistas, especializado em garimpar os melhores programas para eles na capital inglesa. Pedimos ao expert suas dicas do verão londrino com a família. Divirta-se!

1) No norte de Londres, Harry Potter Studio Tour é uma nova oportunidade de explorar a magia dos filmes de Harry Potter. O passeio dá acesso aos estúdios onde foram filmados.
2) Meu parque favorito na cidade é Kensington Gardens, com atrações para todas as gerações; crianças adoram o Diana Memorial Garden e a estátua de Peter Pan; adultos podem curtir os jardins e as exibições na Serpentine Gallery, ou relaxar perto do lago.
3) Depois do programa, por que não fazer uma jornada pelo mundo fantástico de Nárnia? O Threesixty Theatre (teatro ao ar livre nos Kensington Gardens) apresenta a superprodução do romance infantil de C.S. Lewis, “The Lion, The Witch and the Wardrobe”.
4) Outra alternativa é passear rumo a Covent Garden, onde o Theatre Royal Drury Lane é lar de “Shrek”, a nova comedia imperdível do ano.
5) No período da Olimpíada (27 de julho a 12 de agosto), Somerset House abrigará a Casa do Brasil. Meca da cultura brasileira, será o lugar para celebrar o sucesso do País nos esportes.

Leia matérias sobre Londres em tempos de Olimpíada no Diário do Comércio

Veneza pela ótica do cinema

O Hotel Cipriani, um clássico da hotelaria em Veneza, criou um tour que leva às locações de grandes sucessos do cinema. ‘Othello’, por exemplo, ‘O Mercador de Veneza’ e ‘Todos Dizem eu te Amo’, de Woody Allen, são alguns deles. Na companhia de um guia especialista, o passeio dura entre duas e quatro horas e pode ser adaptado de acordo com o gosto cinematográfico do cliente. Inclui paradas na Piazza San Marco (onde foram filmadas cenas de ‘Moscou contra 007’), no histórico Caffè Florian (local dos ‘takes’ finais de ‘O Talentoso Ripley’) e na Academia Palazzo Contarini, pano de fundo para a performance de ‘O Mercador de Veneza’. Isso só para citar um pouco do programa.
O hotel, vale lembrar, fica na ponta da Ilha Giudecca, a poucos minutos de lancha privada da Piazza San Marco, e oferece vista maravilhosa para o Palácio Ducal.

Bruxelas In & Out

  A Waterloo Boulevard reúne todas as lojas de grife. Na Av. Louise, ao lado do super hotel Conrad: a loja de Brinquedos Serneels (comemorou 50 anos) é imperdível, que pena que não dá para trazer tudo, é irresistível para quem tem filhos. Os brinquedos de madeira, os carrinhos, fantoches, bichos de pelúcia, bonecas collet, enfim, uma loja pequena, nada parecida com a Hamleys de Londres, mas com uma seleção maravilhosa, como os da marca Brio.

Hospede-se no Hotel Amigo se quiser ficar no centro histórico ou para ficar na Av. Louise, o Conrad ou o Sofitel da Waterloo. Os museus todos fecham na segunda-feira. Para quem gosta de surrealismo: a ala de Magritte no museu de belas artes. Coma um waffle na Biscuiterie Dandoy, em frente ao Hotel Amigo, próximo à Grande Place e às Galeries Royale de St. Hubert. Não perca tempo na Rue Neuve!! Um restaurante trendy, dica do concierge do Hotel Amigo é o Kwint. Bruxelas não é a cidade mais bonita da Bélgica. Prefira Bruges, Gent e Antuérpia.

Por Adèle Abdalla, do Eurostar entre Bruxelas e Londres

Bruges In & Out

  O Hotel Heritage – Relais & Châteaux – ganhou o premio Trip Advisor 2009, é super bem localizado bem no coração de Bruges. Os quartos são pequenos, mas tem tudo e são recém-renovados. Um dia apenas em Bruges é pouco tempo, fique dois! Bruges é a cidade do personagem Tintin, mas não oferece grandes aventuras. O diferente é fazer um tour de Segway. Vale a pena fazer o passeio de barco pelos canais, mas de Veneza Bruges não tem nada! Venha preparado para chuva, mas o mau tempo não é impedimento para nenhum dos passeios e andar pela cidade, a melhor forma de conhecê-la. Domingo a maior parte do comercio local está fechado. Ah, e mesmo nos outros dias as lojas fecham para o almoço. As ruas de compras são a Steenstraat e a Zuidandstraat.

O famoso restaurante três estrelas Michelin Karmeliet precisa ser reservado com meses de antecedência. O preço por pessoa varia entre 80 e 300 euros. Agora a novidade é o Refter, do mesmo dono, preço a partir de 30 euros por pessoa e “very trendy”. Ambos fecham domingo e segunda. Para uma refeição rápida perto da praça, experimente o De Stove e na mesma rua, o Sale & Pepe (cozinha italiana)

Por Adèle Abdalla, do Eurostar entre Bruxelas e Londres

The best of Veneza

venezawhiz Uma das cidades mais cobiçadas e turísticas do mundo, Veneza tem seus programas do tipo ”pega turista” e outros que fogem das “crowds” que invadem o destino mesmo fora de temporada. Andar de gôndola, por exemplo, pode ser divertido mas virou super comercial e caro, o que faz perder aquele romantismo. Todos (hotéis e barqueiros) vão oferecer também o passeio grátis até a ilha de Murano, o que significa parar direto numa fábrica de produção dos vidros, ver rapidamente o trabalho artesanal e depois percorrer as muitas salas com peças à venda por uma fortuna – mais caro do que nas ruas venezianas. Quase impossível sair ileso da experiência.

Bem, o que vale mesmo a pena em Veneza é andar a pé pela cidade e quase se perder – há indicação com placas, muito fácil de encontrar os caminhos; tomar um café no Florian, na Piazza San Marco (sim, é turístico mas um clássico, de 1720, lá dentro é lindo!); ir a Rialto, passando pelas pequenas praças (campos, em italiano) e almoçar no Trattoria alla Madonna (restaurante veneziano sem muitos turistas; Calle della Madonna, S. Pollo); jantar no Da Fiore (Calle del Scaleter 2202; charmoso e elegante, com comida ótima! O proprietário atende as mesas e a mulher cozinha); ver o pequeno Peggy Guggenheim Museum e o Punta della Dogana, novo centro de arte contemporânea; e ir ao novíssimo hotel de Philippe Starck, o Palazzina Gassi, que fica escondido numa ruela por trás do Palazzo Grassi (também de expos contemporâneas). É o lugar que está conquistando os artistas de Hollywood que não querem aparecer e que procuram um lugar moderno – o único assim na cidade. Brad Pitt já esteve lá e Johnny Depp está morando em parte do hotel por dois meses e meio.
Se ainda assim, ainda bater a vontade de andar de gôndola , os concierges dão a seguinte dica: faça o passeio à noite e observe o movimento e a iluminação dentro das casas. Enjoy Venice!

Antonella Salem, de Veneza